SUPER ARCADES ESPECIAL (I): X-MEN

O Fliperama do Zé Doido não é nascido em Krypton e nem foi mordido por uma xuranha aranha radioativa mas nem por isso é super! Comemorando a reabertura das portas de nossa desbocada comportada casa de jogos vamos fazer uma série de matérias especiais com arcades estrelados por nossos super-heróis dos quadrinhos! Já tô até vendo uma multidão de quadrinheiros agitando suas revistinhas de sacanagem da Panini na porta do flíper!

Por isso, para começar nossas reportagens nerdistas desses fabulosos heróis de papel, nada melhor do que escolher a maior novela mexicana de dramalhão dos quadrinhos marvetes: OS XIS-MEN! Nascidos com incríveis poderes, incompreendidos e odiados pela plebe ignara, os filhos do átomo ainda não tiveram a paternidade reconhecida e vivem chutando a poupança do Magneto em inúmeros games para inúmeros consoles! Sério, desde o Nintendinho que os alunos bagunceiros do Fessor Xavier ganham um título ou outro pros consoles da geração (embora o X-Man do Atari não tenha nada ver com as HQs, mas seja de arrepiar os pentelhos ruivos da Jean Grey!).

Eis que entre os tresloucados anos de 1992 e 1993, a Konami da fase pré-Titio Kojima resolveu pegar os heróis dos Xis-Men e, como era de praxe, armar um beat’em up difícil e legalzão! Provando que tem consciência social e nenhum preconceito (só contra os chineses…), a japaiada konamieira escolher justamente nos nossos queridos MUTUNAS!

VAMOS LÁ QUE VAI COMEÇAR A BAIXARIA A MUTANTARIA!

(procê que nasceu em mil novecentos e Windows 95, saiba que antes do desenho na Globo não tinha esse negócio de “Éks-Mein” não, cumpádi; era só Xis-Men e boa!)

Tinha que ser o Magneto de novo!

Pra variar, a eterna comadre invejosa do Fessor Xavier, como em mais de mil histórias em quadrinhos, apareceu pra azarar a vida dos nossos queridos mutantes azarados! Querendo destruir o mundo, subjugar a humanidade, tirar a donzelice da Kitty Pryde e render mais uma saga inútil nas revistas, o mutante imantado rapta o Fessor Xavier, a lolita chave de cadeia Kitty Pryde e a ruiva diliça Jean Grey e os leva presos pro seu esconderijo no Asteroide M. SANTA ORIGINALIDADE, BÁTIMA! Mas, durante todo o game, não se explica o motivo do rapto! No mínimo, o Magneto queria obrigar o Fessor a correr a São Silvestre com um cabelão black power e assistir o Salve Jorge junto com a ruivona comendo pipoca doce com Toddynho! Vai saber…

Mas a turma do fundão da Escola para Jovens Bem-Dotados Superdotados do Professor Xavier fez das tripas coração e não deixou barato: foi lá matar a cobra, mostrar o pau, limpar na cortina e lavar com sabão de coco! São esses os mutantes que você vai escolher pra sair no braço com os capangas do Magneto:

Cyclops (Ciclope Cegueta no Brasil): mutante míope com quinhentos graus de miopia, oitocentos de hipermetropia, mil de astigmatismo e, ainda por cima, com um terçol veiaco que faz ele acreditar que a Jean Grey vive menstruada por trinta dias ao mês! Ganhador hors concours da estrelinha de bom aluno do Professor X. Como bom puxa-saco, Ciclope é aquele lutador que não cheira e nem fede, mais insosso que pizza de chuchu sem sal. Seu foder poder mutante é uma rajada foderosa que ele dispara pelos olhos, explodindo a tela toda com sua conjuntivite mutante! Pensa o quê! VAI ENCARAR OU VAI PEDIR TEKKEN?

Wolverine (Vorverine no Brasil; também conhecido como “aquele Xis-Man das unhas”): o mais cabra-macho dos Xis-Men, em carne, osso e adamantium! Mas sem fator de cura, pra roubar suas fichas! Desbocado, malvado, sujo, fedido, casca-grossa e torcedor do Curíntia e do Framengo, nosso considerado Wolvie é, de longe, o melhor personagem: rápido, forte e cheio de movimentos apelões! Seu foder poder mutante é melhor até que no gibi: Wolverine esfrega as garras pra tirar o esmalte e solta um alecfull que nenhum Street Fighter de rodoviária tem! Desnecessário dizer que a molecada do fliperama vai brigar o tempo todo pra ver quem pegar o baixinho!

Colossus (Kollossovsky na Grande Mãe Solteira Rússia): o lutador comunista e, tal como os Haggares da vida, pesadão e lento, mas forte pra desgraça! Ideal pra dar aquelas voadoras que nunca acertam o chefão! Mas é com seu foder poder mutante que Colossus mostra que luta continua, companheiro: uma peidorreia radioativa que sacode a tela toda até dar tilt, depois de comer muito estrogonofe com batata-doce e ovo de avestruz de Chernobyl! Mas, como o Colossus é vermelho, comunista, estudante da FFLCH e de esquerda, ninguém vai querer jogar com ele depois da reportagem de capa da VEJA! A Yoani Sanchéz deve ter platinado com ele pra depois reclamar que o jogo é ruim!

Nightcrawler (Noturno no Brasil, o Xis-Man boêmio!): Xis-Man de hábitos noturnos e de boemia, sempre de ressaca e com sono quando se escolhe ele no player select! Apesar de rápido como uma formiga atômica e habilidoso como o capeta, Noturno nunca é escolhido pela molecada evangélica porque o pastor falou que é pecado jogar com ele! Com seu foder poder mutante de teleporte, ele dá uma voadora torta de arrancar os testículos de todos os bonequinhos da tela, de longe o melhor dos foderes poderes! Literalmente, Noturno é o capeta e toca o terror no arcade dos Xis-Men!

Storm (Tempestinha da Viradouro no Brasil do Carnaval): a nossa querida mulata cheirosa, dengosa, coxuda e madrinha de bateria da Escola de Samba dos Mutantes Unidos de Vila Xurupita! E ainda com foderes poderes mutantes de controlar o clima e de lançar um furacão cabuloso pra cima dos inimigos de botar inveja em muito lutador escolado do Fatal Fury, e sem precisar arrebentar o manche com mil meias luas pra mil direções! Das duas mulé jogáveis nesse game, de longe Tempestade é a melhor. E nem precisa de Crescim 2000 pra disfarçar a cabeleira grisalha!

Dazzler (Cristal na revistinha mal-traduzida da Abril Jovem): cantora mutante de carreira em baixa, obrigada a cantar em batizados, puteiros e churrascarias pra sobreviver, inimiga fatal da Ivete Sangalo e da Inezita Barroso no mundo da música. Cristal é de longe a mais fraquinha e desconhecida dos Xis-Men a fazer uma ponta nesse jogo. Seu foder poder mutante é o de gerar luz sônica (HEIN?? Com a ajuda das Esmeraldas do Caos?) e de tacar uma catarrada no chão que explode a tela inteira com o poder destrutivo dum traque peidorreiro de São João. A representante dos coadjuvantes apagados das revistas mutunas!

Então bóra lá, bote sua ficha com carinho e uma cuspidinha e escolha seu Xis-Man, que esse beat’em up tem muitas armadilhas, chefões chatonildos e capangas clones pela frente!

As novas aventuras dos Xis-Men!

Pois bem, como todo briga de pancadaria generalizada, você terá que atravessar oito fases esmurrando e chutando uma horda de capangas iguais (aqui são umas Sentinelas do tamanho dum jogador de vôlei, ou seja, um exército de action figures dos Megazords caçadores de mutantes), sempre com um chefão no fim da fase pra te obrigar a pegar um Continue e a ser zoado pelos maloqueiros do fliperama.

Os chefões, como não poderia deixar de ser, também são velhos conhecidos dos marvetes e do universo dos mutunas:

Pyro, o fogoso: chefão da primeira fase, é um primo pobre e desnutrido do Tocha Humana que tem o foder poder de controlar o fogo, mas não tem o poder de criá-lo! Ou seja, o fulano tem sempre que andar com um botijão de querosene e um lança chamas a tiracolo! HAHAHAHAHAHAHA, QUE NOOB, DÁ ZERO PRA ELE! A única dificuldade com Pyro são suas voadoras e uma golfada violenta de fogo que ele dispara, mas, de resto, é um chefão interessado só em queimar a rosca o filme.

Blob, o Blobalhão: vilão mais bloboca que esse a Marvel não tem! Ainda mais com seus foderes poderes de obesidade. É sério, o grande foder poder do comilão aí é ser gordo, e gordo só faz gordice! Blob é um chefão forte, mas devagarzão e que sempre fica vulnerável ao cair de buzanfa no chão. Nada mais que um dos desafios mais blobos do game.

Wendigo, o mendigo: criatura do folclore norte-americano mais esdrúxula que a Oprah Winfrey, parecido com um lobisomem cruzado com urso polar! Imagina se a moda pega e num próximo game tivermos de enfrentar o Saci-Pererê, o Curupira, o Boitatá, o Chupacabra e o Vampeta como chefões? Wendigo é bem pouco foderoso poderoso, mas é aquele típico chefão chato de galochas que desequilibra a dificuldade dum estágio pro outro.

Rainha Branca, a branquela: vilã gostosa vestida de cinta-liga e espartilho, pra fazer a alegria dos onanistas de locadora! Mais uma daquelas telepatas foderosas poderosas da Marvel, pra fazer concorrência com o fessor Xavier. Ela é até fraquinha, mas como subchefe da fase da base subterrânea da ilha do Magneto enche o saco, torra suas fichas e ainda te faz pedir Tekken. Não, não tem código de cheat pra ela ficar pelada!

Nimrod, o Sentinela vitaminado: Sentinela mais foderoso poderoso e apelão, também foi um daqueles robôs gigantes das HQs, que, nessa versão, tomaram pílula de polegarina do Chapolim Colorado e encolheram! Esse sim é um chefe de responsa: quando a cinta dele brilhar, sai de baixo que lá vem lambada (e não a do Sidnei Magal)!

As esfinges da quinta fase: sério, duas esfinges de pedra que ganham vida e partem pra cima, na tradição dos chefões duplos dos beat’em ups. E eles não existem nos gibis! Só podem ter sido uma criação dos japas especialmente para o jogo, reaproveitando os bonecos de alguma versão beta do Golden Axe, QUE NÃO E NEM NUNCA FOI GAME DO HE-MAN, PIPOCAS, SERÁ QUE NINGUÉM NUNCA PENSOU NISSO?! Fofoca de última hora: especialistas em quadrinhos consultados pela reportagem (aqueles ali de mochila, lendo gibi perto do pinball do Bátima Forévis) dizem que se trata de uma referência ao antigo vilão Monolito Vivo, um figura dos anos 60 que nunca mais apareceu nas HQs marvetes…mas ninguém leva esses caras a sério, certo?

Mística, a transformista: a diliçona de pele azul e cabelo vermelho, que, ao contrário dos filmes, aqui aparece vestida, comportada e recatada! Até se transformar no Professor ela se transforma no final duma fase! Eu, hein, essa Maria tá é com cara de João, viu!

Fanático, o corintiano, maloqueiro e sofredor: outro vilão consagrado do gibi (que é Fanático por uma confusão!), cujo foder poder mutante é de fazer os Fanáticos torcerem o nariz e a revistinha: quando se põe em movimento, Fanático simplesmente não consegue ser parado! SANGUE DE SHAO KAHN TEM FODER PODER! Mas, pra não ficar tão feio (e não desagradar os fãs Fanáticos), a Konami deu uma bazuca pro cabrocro. É o modo Cable de ser: se o fulano não tem um foder poder mutante digno de respeito, dê a ele um trabuco desenhado pelo Rob Liefeld que tá tudo certo!

Magneto, o magnético: o boss final em toda a exuberância de sua fantasia premiada no concurso de Carnaval do Hotel Glória, colorido como um pavão radioativo e apelão como um chefão de Nintendinho! Magneto sempre se protege na sua bolha magnética e tem uns ataques no estilo do Destruidor do game das Tartarugas Marofeiras Ninja, provando que, além de magnético, é também um morfético!

E tá armado o circo: você, um amigo, quatro amigos (jogar de quatro…ui!) ou uma cambada de seis desocupados (dependendo da máquina) vão estapear robôs, Sentinelas encolhidos, soldados de armadura, homens-jacarés (Cuma??), chupacabras de barro (vixi Maria, crendeuspadre!), abelhas assassinas (VALEI-ME, MEU SANTO SNAKE DO QUIXERAMOBIM!) e até morcegos ciborgues vampiros (Sacripantas, Tio Zé Doido!). É, inimigo criativo não falta nesse jogo, mas, tirando os chefões, não vemos a presença de muitas figuras conhecidas da Marvel! Culpa do licenciamento (que liberou a marca de só alguns personagens) e pelo fato do game ter sido todo feito no Japão, o quê se nota pelo traço meio mangá/anime dos personagens (toma, Joe Madureira! Vai catar coquinho lá em Madureira!)

Até os cenários são meio repetitivos: você atravessará uma cidade destruída, a fábrica de robôs (chupinhada do interior do Tecnódromo das Tartarugas), a ilha tropical de Magneto (abençoada por Deus e bonita por natureza, mas que beleza!), as ruínas egípcias e incas (?) dessa olha e mais o Asteroide M (que se arrasta por uns dois estágios). E tudo sempre cheio de armadilhas no chão, como buracos, lançadores de fogo, caixas de marimbondos…ah, mas aí você me diz, “nada que um bom item de energia e power-up não resolva, né, Tio Zé”? ERRADO! Esse game não tem nem comida pra aumentar o life, nem os badulaques que dão ponto e nem umas faquinhas e pistolas pra se defender dos inimigos! CAI FORA, MACAUBAL! CÊS TÃO ACHANDO QUE FICHA DÁ EM ÁRVORE?

Mas temos um especial digno de respeito, os sensacionais FODERES PODERES MUTANTES! E todos eles têm efeito na tela inteira! E não tem aquele malabarismo de meia lua e soco não, é só apertar o botão do Mutant Power! UAU, EU ESCUTEI A AGULHA CAINDO DO OUTRO LADO DA SALA DA MANSÃO XAVIER! Mas tem um porém: eles comem suas barras de sanguinho (sem lubrificante!) e, caso você esteja no bico do corvo, só consegue soltar o foder poder se tiver uma bolinha de energia que ganha a cada Continue ou fase vencida! PUTZGRILA! CORREÇÃO: NÃO ESCUTEI A AGULHA CAINDO DO OUTRO LADO DA SALA! É, alegria de pobre dura pouco!

Mas, mesmo com esses defeitinhos de software e hardware, X-Men ainda é um arcade legal. Poderia ter sido melhor e tal, mas foi com ele que se abriu a brecha para bons jogos com os mutunas e não aquelas tranqueiras imprestáveis que serviam só pra aproveitar a fama da série.

Resumindo pro leitor desavisado que perdeu umas cinquenta edições

X-Men Arcade é um beat’em up clássico, difícil, desafiante e com uma dificuldade meio desbalanceada, pois começa bem fácil e piora praca lá pra terceira fase tropical, e daí vai ficando mais cabuloso até o fim! Na época, o game não foi lá muito bem, mas, graças aos deuses do Outworld, dos fal’Cie e pela graça de Sephiroth, o jogo envelheceu bem, tornando-se um velhinho simpático que joga dominó na praça e ensina os netos a atirar de estilingue!

Claro que a falta de itens de energia e power ups é uma puta malandragem, e também os heróis aparecem muito descaracterizados (tem horas que o game até parece um piratão oriental), mas quem sabe esse arcade veio duma terra paralela, onde os X-Men foram criados no Japão e desde sempre foram um mangá. Mas nada que um emulador com créditos infinitos e uma ficha com barbante não resolva.

Como pontapé inicial, o fliperama dos X-Men acerta o gol, sem precisar de nenhum foder poder mutante pra ajudar! É isso aí! VIVA OS MUTUNAS!  E que o Átomo enfim aceite seus filhos e os registre no cartório!

Curiosidades Curiosas e X-Traordinárias:

- Os Xis-Men foram criados por Stan Lee (que não é tio do Bruce Lee, nem avô do Jim Lee, nem sogro da Chun-Li) e Jack Kirby (não, ele nunca criou personagens pra Nintendo!) em 1963. Na época, com todos os grandes heróis já criados (Quarteto Fantástico, Vingadores, Hulk, Homem-Aranha), Lee e Kirby já não tinham mais ideias pra criar super-heróis, e eis que lhes veio o estalo de jerico: e se os heróis já nascessem com seus poderes? A primeira escalação dos Xis-Men era formada por Ciclope Cegueta, Garota Gostosa Marvel, Anjo Caído, Fera Ferida e Homem de Gelo Derretido.

- Os X-Men estão no mundo dos games desde a era dos 8 bits! Tivemos um game do Wolverine pro Famicom, depois, na mesma época do arcade, tivemos dois beat’em ups dificílimos pro Mega Drive (X-Men e X-Men Clone Wars), um game de responsa pro Super Nintendo (X-Men: Mutant Apocalypse), uma DISGRAMA DUMA PORQUEIRA chamada Spider-Man and X-Men versus Arcade (infelizmente lançado pra Mega, SNES e Master System!), o de luta X-Men: Children of the Atom, os games da série X-Men Academy e…UFA! Quem quiser ajudar com a lista pode postar mais títulos nos comentários, que o Tio Zé tá cansado!

- Em várias partes dá pra perceber que a engine é chupinhada dos Jabutis Ninjas do Mestre Splinter! Isso fica bem claro na fase da fábrica de robôs, nas armas automáticas que deslizam pelo chão, em algumas armadilhas e até no lance dos clones dos chefões voltarem nas partes finais! Já que é pra esculachar, porque não botou também as pizzas salvadoras pelo caminho, D. Konami?

- Esse arcade vinha em várias versões: tinha uma máquina comum com dois jogadores, um pra jogar de quatro (ui!) e uma geringonça que dava para jogar com nada menos que os 6 mutunas simultaneamente! Memória RAM pra que te quero e sebo nas canelas do processador! Mas essa estrovenga invocada só pra quem tinha cacife de jogar em fliperama grande de shopping caro!

- Nesse game, estranhamente, Kitty Pryde estão tão ruiva quanto Jean Grey! O que uma mutação e uma tintura Wellaton não fazem…

- O arcade dos X-Men não foi portado pra nenhuma plataforma nos anos 90! Talvez por culpa do licenciamento e de outros contratos para jogos. Só teve mesmo um mod pra PC, feito pelos nossos queridos programadores de tapa-olho e papagaio no ombro! Mas o jogo foi lançado esse últimos tempos na App Store pra iPhone e IPad e no Android Market pra quem tem um Galaxy e/ou similar chinês de quatro chips! Confere lá! E tem também na PSN Store e na Xbox Live pro pessoal que é Sonysta e Caixista!

O FZD não é mutante, mas tem o incrível foder poder de se estragar superar a cada post! E aguardem pelo nosso próximo Super Arcades Especial, estrelando…THE AVEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEENGEEEEEEEEEEEEEEEERS!

Esse post foi publicado em 16 bits, arcades, clássicos, dossiê, enredos, fases, fliperama, personagens, resenhas e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para SUPER ARCADES ESPECIAL (I): X-MEN

  1. Paulo Aquino disse:

    Olha, meu caro Zé doido, confesso que não conhecia essa pérola dos fliperamas.
    Será que eu teria que ir (na época) pros Shoppings Iguatemis da vida pra ver esse jogo (e gastar cinco reais o crédito)?
    E parece que esse jogo é um tipo de irmão bastardo do arcade das Tartarugas Ninja, que queria ser Final Fight (no quesito “ladrão de ficha”: nota… …nove vírgula oito).

    Sobre a tal da Rainha Branca, será que ela não se chama Emma Frost?

    Só fico imaginando como é que vai ser quando rolar um post sobre o Capitão Comando…

    • zemarcelo disse:

      Vixi, cumpádi! Sério mesmo que você não conhecia esse arcade? Bom, pra falar a verdade, a primeira vez que vi ele foi nessas casas de fliperama de shopping classudo mesmo, onde nem tinha como comprar fichas. Mas, depois de um tempo, ele passou a frequentar as rodoviárias do Brasil. Lembro que muitos fliperamas nas cidades do litoral tinham essa máquina.
      Ah, e a Rainha Branca é a própria Emma Frost! É que antigamente ela tinha um codinome nos gibis marvetes.
      E o post do Captain Commando tá aqui, ó: http://fliperamazedoido.wordpress.com/2012/01/13/captain-commando/

  2. LEONARDO ASSIS disse:

    QUE BOM QUE VCS VOLTARAM. ESSE É O MELHOR SITE FALANDO DE GAME QUE EU JÁ VI.

    SEGUINDO VCS!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s