10 jogos absurdos que gostaríamos de ver

Quem aqui dentre os poucos (e bons!) frequentadores do Fliperama do Zé Doido nunca brincou de imaginar jogos que, de tão absurdos e estapafúrdios, nunca serão lançados, seja porque seriam um fracasso, seja porque são de produtoras diferentes, seja porque seriam estrelados por personagens que não têm nada a ver com os games?

Na época da guerra entre Sega e Nintendo, botar Sonic e Mario num mesmo jogo só era possível no meio daqueles pirateiros mais craques em programação; mas, anos depois, olha só os dois cabocros reunidos nos Jogos Olímpicos! Do mesmo modo, num tempo botar um Street Fighter versus personagens de outros jogos de luta era inconcebível e, depois dum tempo, começaram a aparecer, Street Fighter vs X-Men, Street Fighter vs Marvel, Marvel vs Capcom, Capcom vs SNK, Capcom vs Gaviões da Fiel, SNK vs Combinado da Moóca, etc.

Agora imaginem jogos estrelados pelos personagens mais obscuros, com os plots mais bizarros possíveis, coisas que a gente sabe que nunca vão conhecer a luz do dia? O FZD não é Robério de Ogum nem Mãe Dinah mas faz seus exercícios de futurologia! Quem sabe todos esses games aqui não existam num universo paralelo, onde o DreamCast fez sucesso e desbancou o Playstation, onde o Jogo Justo foi aprovado e onde Final Fantasy VII foi lançado exclusivamente pro N64. ATENÇÃO, SOFTHOUSES: se faltarem ideias no futuro (ou seja, se todo mundo só estiver lançando DLC pro Call of Duty) aceitem por livre e espontânea pressão as sugestões do FZD, pois estes são os jogos que nós pagaríamos para ver o resultado.

Então vamulá antes que chova canivete:

10. Pinball do Seinfeld

O melhor game sobre o nada! Naqueles anos loucos e sombrios da década de 90, quando Lílian Ramos não usava calcinhas e os mini games da Tec Toy eram o máximo de tecnologia que víamos no Brasil, era moda fazer pinball pra tudo: tinha a mesa do Indiana Jones, do Jornada nas Estrelas, do Star Wars, do Rocky & Bullwinkle, do Jurassic Park, do Baywatch & Cia. Siliconada, da família Addams, da Formula Indy (?), do filme Twister (só não tinha a diliça da Helen Hunt!), do filme Stargate, do Batman Eternamente, até o pinball Oba Oba, do Sargentelli e mulatas perfumadas, os produtores inventavam. Funcionava assim: qualquer coisa comercial que não rendia game de luta ou de plataforma virava pinball, afinal, era só tascar umas ilustrações no layout da mesa e dos dispositivos, umas animaçõezinhas de fundo de quintal no painel monocromático e boa, afinal, o jogo se limitava àquela bolinha sapecando dum lado pro outro.

Então, nada melhor do que um pinball para a melhor série sobre nada! Bote o apartamento do Jerry e a lanchonete Monk’s na mesa e bata com os flippers na mãe do George, digo, na bolinha de metal. Derrube as bandeirinhas do Kenny Banya e do Nazista da Sopa e consiga uma bola extra! Mas cuidado para não mandar a pelota na área do estacionamento do shopping, porque aí vai ser foda de tirá-la de lá. Conquiste a Beleza sem Sutiã e consiga um Jackpot, mas cuidado para o seboso do Newman não roubar sua ficha. E acenda todas as letrinhas da frase “THESE PRETZELS ARE MAKING ME THIRSTY” para ganhar uma porrada de pontos!

Isso sim é que uma “The Contest” de responsa. Aliás, falando em The Contest, será que panela velha (e que faz comida boa!) da Elaine tem uma esponja diária pro Zezão aqui? Bem, se a bolinha rolar pelas canaletas lateriais ou no meio dos flippers e você não conseguiu um bom score, como todo bom pinball gosta de sacanear…SERENITY NOW!!!

Ao contrário do Frogger, nessa máquina George Costanza conseguirá gravar seu recorde.

9. Super Rubinho Barrichello’s Interlagos GP

Todos os grandes pilotos da Formula 1 já ganharam um game com a sua grife: tem o do Senna, do Nigel Mansell, do Mario Andretti, do Emerson Fittipaldi, do Super Mario, só o chatão do Villeneuve que ficou de frescura, mas, como dizíamos estávamos falando dos campeões e não dos segundos lugares…enfim, falta um jogo de corridas estrelado apenas pelos perebas clássicos da F-1. Dirija sua Arrows, Minardi, Sauber, Tyrell, Synthec e Copersucar, dentre outras escuderias bizonhas, com um potente motor de Fiat 147 com carburador de Corcel veiaco, e queime óleo pelos mais incríveis circuitos do mundo: Grande Prêmio do Iraque, Grande Prêmio da Cisjordânia, Grande Prêmio da Favela da Rocinha, Grande Prêmio da Somália, Grande Prêmio do Haiti (esse em circuito de rua pós-terremoto), Grande Prêmio da Indonésia (esse, devido aos tsunamis, tem que ser feito de lancha).

Acelere fundo mas respeitando os limites de velocidade! Escolha entre um time imbatível de domingueiros campeões, como Ukyo Katagrama, digo, Ukyo Katayama, Tarso Marques, Pedro Chaves, Ed Irvine, Jean Alesi e nosso querido RUBINHO BARRICHELLO DO BRASIL! Não se esqueça de dar seta em todas as curvas e aproveite a caixa de brita. Com sorte, dá pra você erguer um troféu enferrujado e subir no ranking de construtores de gambiarras.

8. Pro Evolution Soccer Second Division Championship

Mesma coisa do tópico anterior. Cansado dos jogos de futebol onde só têm as melhores seleções, os times da Liga dos Campeões, Real Madrid e o caralho a quatro? Pois bem, seus problemas se acabaram-se! Nesse perfeito e inovador jogo de futebol, você poderá disputar as peladas de segunda e terceira divisão, com os times mais bem preparados fisicamente do país! Escolha entre as seleções invencíveis do Íbis, XV de Piracicaba, Malutrom, Moto Clube do Maranhão, União São João, União Barbarense, Ameriquinha de Rio Preto, Ferroviária, Botafogo de Ribeirão Preto, Matonense e muitos outros. Você leitor que mora em Campinas e já foi assaltado no Centro de Convivência poderá enfim tirar um derby entre Ponte Preta e Guarani em full HD no videogame, sem ter que recorrer aos Campeonatos Brasileiros do Super Nes!

E o que dizer então duma partida épica entre Fluminense de Feira de Santana e Colo-Colo de Ilhéus?

7. Beat’em up arcade dos Trapalhões

Ô psit, ô da poltrona, essa é a sequência daquele horrível jogo do Odyssey no qual Didi era soterrado nos quintos dos Infernos e condenado a dar beijinhos no cangote do Jorge Lafond.

Mas aqui a porrada é série: coloque uma ficha e escolha entre Mussum (forte e lento), Zacarias (ágil mas fraco), Dedé (equilibrado mas sem carisma) e Didi Mocó Sonrisal Colesterol Novalgina Mufumbo (o mala sem alça do protagonista com o qual todo mundo joga), ou seja, os velhos arquétipos dos beat’em ups. Cruze cidades, florestas, a terra dos monstros, o circo d’Os Saltimbancos Trapalhões, a Serra Pelada, o Trapa Hotel, o sítio com plantações de cachorro-quente do Zé do Brejo, o interior do Ceará…para recarregar energia, nada melhor que um copinho de mézis, cacildis! No final, salve a Xuxa das garras do Sargento Pincel!

Porém, se o Mussum e o Zaca morrerem, nem Game Shark salva. Depois, só em reprises mesmo. E cuidado, alerta de Spoiler: no final da história, Dedé Santana se revela um traidor e se une ao Comando Maluco! CÊ VAI VÊ…

6. A Praça é Nossa Tactics

Aconteceu que, certo dia, os credores do Silvio Santos encamparam a velha praça e o velho banco do Carlos Alberto, e agora os personagens desse hilário e espirituoso humorístico, com piadas mais inteligentes do que um livro de crítica literária do Kleber Bambam, precisa recuperar o seu terreno perdido ao modo Age of Empires e Starcraft…se bem que, pelo jeito, tá mais pra Brütal Legend, viu.

Controle Carlos Alberto nesse game de estratégia (“TREPAR NA VITÓRIA RÉGIA”, diria a Véia Surda) e crie suas unidades para a batalha, como Batoré, Véia Surda, Zé Bonitinho, Vera Verão, Xitãoró e Chorãozinho, Deputado João Plenário, Maria Santa, Canarinho…ganhar a batalha de audiência contra a Poderosa e a TV do Bispo não vai dar, mas, pelo menos, dá pra brigar um pouquinho com a Gazeta e se divertir saindo do traço com a Mix TV…

Aproveite para jogar online com headset e grite bem alto ao microfone: Ó COITADO!

5. Turma da Monica Fighting

Já tivemos jogos da Mônica naquele castelo do dragão e naquela terra dos monstros, com histórias tão bem construídas e verossímeis, verdadeiros Final Fantasies da vida. Mas todas elas eram muito politicamente corretas; o bom mesmo seria um game que exprimisse o que as historinhas têm de mais subliminar, ou seja, PORRADA!

Escolha Cebolinha e seu especial de raios elétricos pelos cinco fios, Mônica arrancando cabeças com Sansão, Magali contra-atacando com uma avalanche de melancias, Cascão com o indefensável golpe de seu sovaco à la Golden Axe. Como cenários, os bucólicos gramados do Bairro do Limoeiro, o Parque da Mônica em ruínas, o laboratório do Franjinha, o cemitério do Penadinho, o sítio do Chico Bento…e enfrente o Capitão Feio como chefão final.

E tome apelações estilo Marvel vs Capcom e KOF. E vamos parando por aí antes que o FZD receba um processo do Todo-Poderoso Imperador do Brasil e dos Bons Costumes, Sua Santidade Sacrossanta Mauricio, o Terrível, condenando este blogueiro a ler as revistinhas da Turma da Tina e fechando o fliperama para abrir uma loja de alimentos orgânicos no lugar!

4. Mario & Sonic at the botequim games

Se esses dois rivais que hoje são amantes em segredo já participaram dos Jogos Olímpicos, praticando esportes para melhorar a saúde e contribuindo para diminuir o aquecimento global que destrói Pokémons em todo o mundo, chegou a hora então dos Jogos de Boteco!

Pegue Mario e Luigi como parceiros contra Donkey Kong e Bowser no truco, ou Sonic e Tails contra Knuckles e Amy na cacheta, jogue umas sinucas com 0 Yoshi e tire uma queda no pebolim com o Robotnick, ou dispute as acirradas competições de arremesso de bituca, levantamento de espertinho com farofa e cuspe à distância.

Jogando bem e conseguindo os troféus, dá até pra habilitar os personagens secretos e exclusivos, como Jeremias Muito Louco, Leonaldo “Toma Cachaça Carai”, Caninha, Biu Goiaba e José Mirosmar de Camargo Luciano. Se o jogo der pau no console, não se preocupe: um Engov antes e outro Engov depois.

3. Kingdom Hearts Tokusatsu

Quê Disney o quê, rapaz? Terminando o contrato com os americanos capitalistas safados que só querem saber de oficializar a união estável entre Mickey e Pateta, Sora e sua espada em forma de chave de Chevette a álcool estão desempregados. Mas estamos no Japão, a terra das oportunidades e dos estupros com tentáculos, e então agora nosso herói se junta a Jaspion e Jiraiya para viajar (na maionese?) entre os mundos dos vários heróis de borracha e isopor!

Vá ajudar os Maskman a trocar as lâmpadas de Tóquio (afinal, eles são Defensores da Luz, né?), vá ao mundo dos Flashman dar entrada na adoção dos cinco heróis chorões, compre uma cadeira de rodas pro Senhor Bazoo no mundo dos Changeman e ensine os camponeses no Lion Man a plantarem bananeira! Nesse meio tempo, recupere as calcinhas perdidas da Patrine e discuta com o Machine Man se o Pal Boy é uma bola de tênis ou de beisebol. Com sorte, dá até pra entrar no mundo do Shaider. VOCÊ NÃO CONHECE O SHAIDER, LEITOR? Oras, você nunca assistiu televisão nas madrugadas da Globo?

Nesse meio tempo, enfrente heartless de borracha e plástico nos repetitivos cenários da pedreira da Toei e naqueles galpões abandonados cheios de sucata. Nós do FZD achamos que esse reboot do Kingdom Hearts vai fazer tanto sucesso quanto o Metalder nas tardes da Bandeirantes.

2. Open World do Chaves

Tirando o nefasto mini game da Tec Toy (que eu não achei imagens na net), onde você deve desviar de caranguejos no mar para chegar à vila, e o legalzudo Street Chaves, o melhor jogo de luta desde Street Smart, nada como um perfeito jogo de mundo aberto estrelando esse menino latino-americano com o qual ninguém tem paciência. Mesmo que esse “gigantesco” mundo aberto se limite ao cortiço do Seu Barriga, ao restaurante da Dona Florinda e à escola do Professor Girafales.

Pois bem, jogando com Chaves, saia do barril para pegar missões com o Seu Madruga e o Seu Barriga, missões tão esdrúxulas como roubar bolos da Bruxa do 71, sujar a roupinha de marinheiro do Quico, matar lagartixas com o estilingue, envenenar inseptos com gasolina, engessar a vila com leite de burra e ajudar o Jaiminho a entregar suas cartas para evitar a fadiga. Nesse meio tempo, frequente as aulas do Professor Linguiça, (TÁ, TÁ, TÁ, TÁ!), venda resfrescos de tamarindo e churros para levantar uma grana e peça ajuda ao Polegar Vermelho quando a barra pesar.

Se você conseguir deixar a Chiquinha pelada e suportar essa visão por cinco minutos ganha um troféu de ouro! E aguardem pelo DLC de Acapulco.

1. Street Fighter vs Mortal Kombat

Não adianta: o sonho de onze entre cada dez gamers viciados é esse tão sonhado crossover que nunca sairá do papel e dos sonhos. Apesar de terem feito inúmeras versões para Internet e mugen, falta um jogo desse calibre e oficial para deixar todo mundo satisfeito.

Imagine um fatality do Ryu a explodir o inimigo após um incrível BADUKEN de fogo? Ou o Sagat arrancando cabeças e braços com um TIGER ROBOCOP certeiro? Melhor que isso só uma gilete do Guile a cortar o inimigo ao meio.

Espere também por uma voadora de fogo do Lyu Kang, uma saraivada de ganchos do Scorpion, uma avalanche de gelo do Sub-Zero ou Raiden convocando uma chuva de raios, bem ao gosto dos especiais doidos da Capcom. E, pra coroar com chave de ouro essa insanidade, qual seria o resultado duma batalha entre Shao Kahn e Bison?

Bom, querido gamer leitor, pode enxugar a baba agora antes que seu teclado sofra um curto-circuito e faça o favor de trocar essa cueca melecada, que isso é muito contrangedor.


Anúncios
Esse post foi publicado em bobagens, diversos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para 10 jogos absurdos que gostaríamos de ver

  1. Luís R. Karklis disse:

    eu gostei, mas gosto mais de fliperama

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s