1 ANO DE FLIPERAMA DO ZÉ DOIDO!!! UM PRESENTE DE GREGO: BART VS THE SPACE MUTANTS!!!

É com um orgulho gigantesco de moléstia que o senhor Zé Doido, este que vos fala e vos escreve, o gerente desta espelunca, comemora o primeiro ano de existência de seu humilde fliperama! Uma singela casa de jogos que vem sendo, desde há 365 dias atrás, o oásis dos vagabundos, desocupados, sem-vergonhas, preguiçosos, pilantras, charlatões, canalhas, pirateiros e contraventores desse Brasil varonil, país tropical e abençoado por Deus, em meio aos secos desertos da Internet! Podem trazer os chapeuzinhos de papelão, aquele litrão de guaraná Picolino sem gelo, o bolo cheio de formigas da padaria da esquina, aquela coxinha e aquele croquete que você requentou no micro-ondas, as balas de coco que grudam no céu de boca e ficam lá uma semana e as nefastas sacolinhas-surpresa com quinquilharias Made in Paraguay, que hoje é um dia de bacanal festa!

E a melhor coisa pra estragar um aniversário é um belo dum presente de grego! Tipo quando você ganha uma meia xadrez ou uma cueca samba-canção daquela tia que você não havia há MILÊNIOS! Por isso, comemorando o nosso primeiro ano de sacanagem no ar e relembrando nosso primeiro post, nada melhor do que trazer de volta aquela sensacional família portadora de febre amarela que habita nos subúrbios de Springfield! Em sua bisonha estreia no mundo dos videogames, quando Bart luta contra aqueles mutantes espaciais!

Lançado em 1991, em meio à febre tifoide com mijo na urina que foi o estouro dos Simpsons a partir de 1988/89, e chegando junto com a estreia do seriado aqui no Brasil pela Rede Poderosa, The Simpsons: Bart vs The Space Mutants tem aquele cheiro rançoso de produto oportunista e feito nas coxas, apenas pra estampar mais um badulaque com a cara espetada do moleque arteiro! E o duro é que é!!! Mas, naquele tempo em que todo mundo só queria saber de comer a Marge curtir as aventuras dessa família muito louca que se mete nas maiores confusões, o pessoal saía no braço pra poder alugar o cartucho nas locadoras!E, uma vez dentro do console, se arrependia totalmente ao ver o Bart te mandando jantar as bermudas sujas dele!

Antes da chuva de ovo podre e da farinha, o FZD vai correr contra o tempo e salvar Springfield da invasão duma horda de aliens melequentos, seja pintando todos os objetos roxos e seja recolhendo todos os chapéus antes que o tempo acabe!

E VAMOS LÁ QUE VAI COMEÇAR A BAIXARIA A SIMPSOMANIA!

A invasão dos mutantes do espaço!

Era uma bela tarde em Springfield. Homer bebia sua cerveja e se empanturrava de rosquinhas, Marge cuidava de seus pimpolhos, Maggie sujava as fraldas, Lisa forever alone tocava seu sax e Bart, como sempre, estava profundamente entretido em fazer troca-troca jogar bolinha de gude com o Milhouse! Mas o pior estava para acontecer, e não era Fox querendo fazer um comercial interminável de 10 minutos não!

Brincando uma um óculos de raios-x (com lentes de espiral MUTCHO LOCAS!), eis que o moleque do cabelo espetado descobre que há um bando de alienígenas invadindo a terra, infiltrando-se nos corpos das pessoas pelos seus orifícios mais remotos. Desgraça pouca é bobagem e a comida do porco é a lavagem! De amarelos, os Simpsons ficam brancos de medo! Pior ainda, os ETs (que não são de Varginha) estão construindo uma poderosíssima arma de destruição em massa pra deflorar as virgens aniquilar toda a raça humana!UAU, EU ESCUTEI A AGULHA CAINDO DO OUTRO LADO DA SALA! Ó, e agora, quem poderá nos defender? O George W. Bush? O Chuck Norris? O Capitão Nascimento? O Chapolin Colorado? O Jaspion?

Mas, como a falta de super-heróis anda braba (sacumé, tempos de crise, de cortes de gastos), sobrou pro peralta da família Simpson salvar a pele cor de cheetos dos seus cupinchas. Armado com seu skate, seu estilingue, uma arma de dardos e seus “incríveis” sprays de tinta de pichador, o moleque tem que coletar uma maçaroca de itens inúteis (como chapéus, balões, placas de saída, isótopos radioativos e objetos roxos), antes que os aliens se utilizem deles pra construir a sua estrovenga matadora! E mais uma pá de tranqueiras que o ajudarão pelo caminho, como bombas, foguetes, chaves inglesas, apitos e outras cositas más! E tudo com duas vidas e nenhum Continue, no maior sadismo oitobitsiano!

Fora isso, tem ainda a vozinha zoada do Bart que te xinga sempre que você perde uma vida, naquela frase que ficará pra sempre marcada na lembrança de todos os noobs: EAT MY SHORT, MAN!

COMA MINHA BERMUDA, CARA!

De resto, é um jogo de plataforma tradicional, em side-scrolling da esquerda para a direita. Cada um dos cinco estágios (as ruas da cidade, o shopping, o parque de diversões, o museu e a usina atômica) tem um objetivo diferente, geralmente focado na coleta ou numa outra tarefa envolvendo um determinado tipo de item. Por exemplo, na primeira fase você terá que pegar as tintas vermelhas em spray pra pintar todos os objetos roxos (ou dar um fim neles, como no caso do passarinho, que você precisa espantar com um rojão); já na segunda precisará recolher todos os chapéus, cartolas, bonés e similares; na terceira, ou você pega os balões ou estoura as bexigas; na quarta, percorra o museu de Springfield numa visita incrivelmente didática (hahahahaha!) roubando todas as plaquinhas de EXIT espalhadas pelo local; já na quinta e última, na usina nuclear do José Serra, ops, digo, do Senhor Burns, a fase mais foda e apelona do game, você terá de achar todos os cilindros radioativos (tipo aquele que o Homer gruda na camisa na abertura do desenho) e jogá-los no reator da fábrica.

“Opa, que legal, parece um jogo da hora, né, Tio Zé?” ERRADO, pequeno gafanhoto! A pouca quantidade de vidas, a fragilidade de Bart (um esbarrão e já vai um coração de life!), a falta de Continues ou de check points, os comandos esquisitos (tipo segurar o botão de pulo pra correr, culpa da falta de teclas do controle do Famicom!), a falta de ajuda e explicações em texto, tudo isso vai te fazer comer as calças do Bart um monte de vezes!!! CAI FORA, MACAUBAL! Sem contar que, pra pintar ou destruir os objetos roxos da primeira fase, você vai ter que fazer umas gambiarras de dar inveja no Magáiver! Duvida? Quando você passar em frente ao boteco do Moe, pra pintar o avental do simpático taverneiro, você vai precisar passar um trote no boteco pra ele ir na rua brigar, e só assim você poderá tascar um spray nele! Ou, pra pintar o toldo de tinta fresca, você terá que abrir o hidrante com uma chave inglesa de dar inveja no Pereirão! Ou, pior ainda, pra fechar as janelas roxas do asilo onde mora o Vovô Simpsons, terá que ser na base do rojão! Até lá, você já terá comido uns três shorts do Bart à milanesa!

Além do quê, o que diabos os aliens fariam com uma JANELA roxa? Ou com um passarinho ROXO? Vai entender! E como um chapéu pode ser material pruma bomba mortífera? Bem, pergunte aos coelhinhos branquinhos do shopping de Springfield, mais sanguinários que um pokémon entrando no cio! SANGUE DE SHAO KAHN TEM PODER!!! Pensou que esses fofinhos bichinhos de orelhas longas eram bonzinhos? POBRE MORTAL…e você ainda tinha medo dos ornitorrincos de duas cabeças!

Pra piorar (só um pouco mais), ainda temos os chefões mais apagados da história, com aquela apatia típica dos 8 bits, desfilando em toda o requinte e beleza de seus pixels marrons serrilhados! Na verdade, todo final de fase, após você completar a sua tarefa de recolher sucatas, tem sempre um inimigo mais forte que vai roubar todas as suas vidas e te levar a um Game Over humilhante que vai render um ÓTEMO desafio! É o Nelson numa rua tranquila de Springfield, ou um doidão que atira malas e valises, os instrumentos mais letais de todo o jogo (de se escutar a agulha caindo do outro lado da sala!), ou uma planta carnívora no Museu de Ciências Naturais. E aí, VAI ENCARAR OU VAI PEDIR TEKKEN?? No meu caso, eu jogo com o Hwoarang!

Com certeza, The Simpsons: Bart vs The Space Mutants vai te render um ótimo ataque de nervos, uma crise de taquicardia, um aneurisma rompido, um derrame cerebral e um surto de erisipela. Com uns gráficos INCELENTES feitos em computador a lenha e um som cristalino de enceradeira paraguaia com defeito na parafuseta, Bart vs The Space Mutants pode ser considerado o primeiro simulador de gambiarras da histórias dos games! Traga, o ketchup, a mostarda, a pimenta, o Ajinomoto e o rabanete de cavalo, porque até o final do game você vai comer muitos shorts do Bart!

Rede Poderosa apresentou, OS SIMPSONS!

Tava na cara que um cartucho desses era mais uma safadeza da Acclaim pra aproveitar a modinha dos Simpsons e fazer você, incauto gamer frequentador de locadoras, ser seduzido pela bela capa e cair numa arapuca desonesta! Eita, nóis! Pelo visto, os produtores andaram tendo umas aulas de pilantragem com a D. Capcom Fazemos Qualquer Negócio!

Infelizmente, os Simpsons sempre sofreram no mundo dos games, com exceção, é claro, do bom fliperama beat’em up e do engraçadíssimo The Simpsons Game pro Neguinho e pro Negão da Sony! Já na luta contra os Mutantes do Espaço ficou aquela sensação de que os programadores queriam fazer um game de plataforma “diferente” (do verbo não copiar os Marios e Megamen da vida conjugado no pretérito do futuro do subjuntivo simples!), mas os caras atiraram pra tudo que é lado e acabaram acertando bem no cu do Apu! Se você tem horror a games que incentivam o colecionismo barato de itens bestas (ou aqueles no PS3 e no Xbox 360 que tem troféu ou achievement de colecionáveis!), como este blogueiro, Bart vs The Space Mutants é a fita perfeita pra você exercitar seu masoquismo! Conselho de amigo: fique com as reprises insistentes na Fox e seja feliz!

Cuidado para que as bermudas e cuecas do Bart não te deem uma indigestão monstruosa! A única coisa boa desse game é que dá pra matar o Bart de tudo que é jeito, nem um game da série Elder Scrolls consegue ser mais criativo no trucidamento de personagem!

O Sideshow Bob (vulgo Espetáculo-Secundário Bob!) deve ter platinado!

Curiosidades Curiosas:

– Existe um minigame de Bart vs the Space Mutants e, melhor ainda, feito inteiramente no Brasil, pela nossa estimada comadre Tec Toy! Nele, numa fase de esgoto, você tem só que desviar das aranhas extraterrestres e recolher os cilindros nucleares, passando por várias salas (de fundo idêntico) e ajudando os outros Simpsons! Fala sério: era o minigame que deveria ser resenhado no FZD e não esse cartucho bomba, né?

– The Simpsons: Bart vs The Space Mutants foi uma praga que se alastrou mais rápido que a gripe suína e o mijo na urina crônico, sendo lançado prum mundaréu de plataformas: além da versão do NES, tivemos adaptações pro Mega Drive, IBM PC, ZX Spectrum, Master System (a menos conhecida e mais rara), Game Gear (idem), Amiga, Commodore 64 e, ufa, Amstrad! Realmente, a Acclaim nessa época pré-Kombate Mortal estava querendo nos foder! Que levasse pra jantar e tomar um bom vinho, ora bolas!

– A expressão “Eat my short, man!” sempre intrigou jogadores mundo afora. Teve até um leitor que mandou uma carta pra Ação Games (JÁ VAI TARDE!) perguntando o que queria dizer esse lindo poema. A revista, claro, não entregou a tradução, dizendo que se tratava duma gíria “em que Bart xinga os inimigos e os chama pra briga. O pentelho é fogo!”. Ah, pobres crianças, não sabem da missa nem a metade, espera só quando o padre levantar a batina…

O FZD adverte nessa sua festa de aniversário: evite objetos roxos, pinte-os de vermelho o mais rápido possível, pois eles são contra-indicados em caso de suspeita de dengue! Se for comer shortes não dirija, aprecie com moderação!

Anúncios
Esse post foi publicado em 16 bits, 8 bits, bobagens, clássicos, consoles, diversos, enredos, fases, jogos desconhecidos, lendas, Master System, Mega Drive, Nintendo, personagens, resenhas e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para 1 ANO DE FLIPERAMA DO ZÉ DOIDO!!! UM PRESENTE DE GREGO: BART VS THE SPACE MUTANTS!!!

  1. Paulo Aquino disse:

    Olha só, quis te dar um tempo, mas depois de algumas vezes que eu li esta matéria, me bateu uma dúvida.
    Não sei se você jogou mais jogos de Simpsons, mas é verdade que jogo de Simpsons costuma ser difícil?
    Quais jogos de Simpsons seriam os mais, digamos, desafiadores (do verbo coisa pra ermitão – vide Kaizo Mario World e I Wanna Be The Guy, pesquise este último)?

    Bom, dá aí umas quarenta fichas, que eu vou lá pro Lagartixas (com câimbra) e Fusquinhas, digo, Cadillacs & Dinosaurs.
    Da vez passada eu zerei com onze fichas. Vamos ver se agora eu uso menos fichas pra zerar…

  2. Gustavo disse:

    Eu ja joguei essa porcaria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s